Atuação rápida e remota do Ferreira e Chagas garante funcionamento do metrô em BH
7 de maio de 2020

O Ferreira e Chagas trabalha constantemente para levar soluções aos seus clientes e, mais do que isso, contribuir com a sociedade. E em tempos da pandemia causada pelo Coronavírus não seria diferente. Com trabalho 100% remoto e muita dedicação, fomos os responsáveis pela medida judicial que proibiu a paralisação total do metrô de Belo Horizonte

Todo o processo foi marcado por agilidade e muita objetividade, marcas FC que beneficiaram a população de BH que depende dos trens urbanos. 

A conduta do processo 

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos de Belo Horizonte (CBTU), cliente Ferreira e Chagas, recebeu no sábado, dia 21 de março, uma notificação do Sindicato dos Metroviários comunicando a paralisação das atividades dos trabalhadores em função da pandemia. Nesse mesmo dia, a CBTU acionou nosso escritório, que deu início a um trabalho intenso para reverter essa medida. 

O resultado não poderia ter sido mais positivo: aproximadamente 24 horas após a notificação, no domingo, 22 de março, saiu a decisão do Tribunal Regional do Trabalho favorável à CBTU, determinando o serviço mínimo de 50% dos trabalhadores nos metrôs.

A atuação Ferreira e Chagas

Assim que acionado, o escritório deu início à elaboração da peça, realizando o contato com o tribunal, o protocolo da medida cautelar no Processo Jurídico Eletrônico (PJE) e a conversa com o desembargador de plantão. Tudo isso em menos de 24 horas e de forma totalmente remota. 

Esse foi um grande desafio para nós. Afinal, aos fins de semana não há expediente jurídico e  grande parte dos servidores estão em quarentena/isolamento social. Além disso, o sistema PJE ficou fora do ar por diversas vezes e era necessário trabalhar sem a presença física no tribunal. Mas foi nesse contexto, de forma 100% remota, que conseguimos essa vitória em tempo recorde, atestando nossa dedicação e trabalho árduo, especialmente quando falamos de uma decisão que impacta grande parte da população. 

Os benefícios 

A cidade de Belo Horizonte teve assegurado o funcionamento do transporte metroviário, sob pena de multa diária de R$100 mil, caso descumprida a ordem judicial. Isso significa segurança para os usuários que necessitam e não puderam entrar em quarentena e precisam realizar os serviços básicos para toda a população. Além disso, para aumentar a
proteção, as medidas de higienização dos vagões do metrô foram intensificadas.

Add your Comment